Monthly Archives: fevereiro 2017

Vista cansada? Entenda como evitar esse problema

Vista cansada

Com a tecnologia presente em quase todas atividades modernas, não há quem esteja imune aos problemas do cansaço de visão, popularmente chamado de “vista cansada”.

Vista cansada

O uso constante de celulares, horas frente ao tablet e computador, videogames e afins, acarretam neste fenômeno muito comum no cotidiano das pessoas. No entanto, há algumas formas de atenuar os sintomas e até mesmo, evitar a incidência deste tipo de problema.

Presbiopia: computador é o grande vilão

É inegável que o uso frequente de computadores, para estudos, trabalho e entretenimento, está entre os principais fatores que levam as pessoas a desenvolverem sintomas de vista cansada, ou presbiopia.

Para evitar este problema, elencamos a seguir alguns procedimentos que o usuário pode aderir com a finalidade de evitar que as vistas sejam prejudicadas:

• Piscar
Pode parecer algo um tanto quanto “bobo”, mas experimente piscar mais vezes enquanto escreve ou lê algo no computador e celular, por exemplo. O ato de piscar lubrificará seus olhos, prevenindo problemas oculares.

• Atenção aos condicionadores de ar e ventiladores
Embora tais equipamentos tenham o intuito de causar nosso bem-estar, eles podem agir contra a saúde ocular, sobretudo se nossas vistas forem expostas diretamente a eles.

• Iluminação
Ambiente sem luz sobrecarga a visão pois fazermos um esforço descomunal para enxergar. Procure a iluminação ideal para evitar esta situação.

• Durma
Um boa noite de sono opera milagres. Quando não dormimos tempo suficiente e voltamos ao trabalho com computadores e celulares em geral, nossa vista não tem tempo de se recuperar e fica sobrecarregada. Portanto, priorize seu sono antes de tudo.

• Consulte um médico oftalmologista
Essencial consultar um especialista caso sinta algum desconforto nos olhos. Caso haja algum problema no globo ocular, o oftalmologista irá encaminhar o paciente ao tratamento mais adequado, diagnosticando de maneira eficiente o problema.


Dicas para uma boa adaptação com os óculos multifocais

Lentes-multifocais

Resultante do mix de dois óculos, sendo um para visão de perto (presbiopia ou vista cansada) e outro para miopia ou hipermetropia, seja ela com ou sem astigmatismo, o óculos multifocal costuma, em alguns casos, apresentar certa dificuldade de adaptação para alguns pacientes.

Lentes-multifocais

Com a vantagem de agregar duas lentes em somente uma, o óculos multifocal é uma ótima ferramenta no tratamento à saúde ocular e com algumas dicas que veremos a seguir, seu uso se tornará mais facilitado, acompanhe.

É preciso antes de tudo, investir numa boa lente

O valor do óculos multifocal um pouco mais elevado, porém, ele possui inegavelmente o melhor custo e benefício. Para tanto, invista em lentes de boa procedência e qualidade, uma vez que lentes baratas fatalmente irão resultar em prejuízos futuros e o usuário correrá o risco de não se adaptar.

A persistência é o caminho do êxito

Esta frase acima de autoria de Charlie Chaplin resume bem a questão da adaptação ao óculos multifocal.

É preciso insistir e não desistir no início. Com certeza, com o passar dos dias o uso ficará mais tranquilo e o usuário adaptado.

Converse com o oftalmologista

É possível que determinada lente foque mais na visão de perto ou de longe. Este é um dos segredos para a melhor adaptação, saber qual é a mais indicada ao caso do paciente. Para tanto, é preciso consultar o médico oftalmologista.

Exame de refração

Distância da pupila e altura da montagem são itens primordiais para a melhor adaptação ao óculos multifocal. Para ter este cálculo preciso, é preciso fazer um exame de refração em uma clínica especializada.

Seguindo estes procedimentos e dicas, a adaptação às lentes do óculos multifocal será bem mais suave e o usuário em pouco tempo estará usando-o sem maiores problemas ou dificuldades.


5 dicas úteis para usuários de óculos

dicas-usuarios-oculos

dicas-usuarios-oculos

Usuários de óculos costumam enfrentar algumas dificuldades, sobretudo quando ainda não estão habituados ao acessório, tão necessário no tratamento da visão e para sua saúde ocular.

Porém, com o passar do tempo e colocando em prática algumas dicas úteis de uso, a relação entre o usuário e os óculos se torna mais amigável. Acompanhe a seguir, algumas dicas úteis para usuários de óculos de familiarizarem e se adaptarem rapidamente.

Encaixe deve ser perfeito

Muitas pessoas se apaixonam por determinado modelo de armação de óculos, escolhe as lentes e gosta do resultado estético, porém, a posição dos óculos perante o rosto acaba pressionando-o.

Isto ocorre porque o tamanho ou estilo da armação não é a ideal para determinado rosto. Antes de questões de moda e estética, leve em conta o tamanho da armação, que deverá corresponder ao seu rosto, promovendo conforto e segurança.

Coloque e retire os óculos do modo correto

Evite retirar os óculos com apenas uma das mãos, bem como colocá-lo desta forma. Para evitar riscos de cair ou até mesmo quebrar, use sempre as duas mãos ao pôr e tirar. Com o uso apenas de uma das mãos, fatalmente ele ficará desalinhado e o parafuso que fixa as pernas dos óculos irá se afrouxar, danificando o objeto em questão.

Faça sempre a manutenção necessária

Limpeza, ajustes e determinados reparos devem fazer parte da rotina de um usuário de óculos. Procure sempre sua ótica de confiança para que a manutenção dos óculos seja feita.

Proteja os óculos

Quando não estiver em uso, guarde os óculos em local seguro. O mais indicado é protege-lo dentro do estojo.

Use pano específico para a limpeza das lentes

Jamais utilize a própria camiseta ou roupa para limpar as lentes dos óculos. O pano específico para esta finalidade deverá vir junto dos óculos para que ao limpar as lentes, elas não sofram riscos e possíveis danos.


O que você precisa saber sobre glaucoma

precisa-saber-sobre-glaucoma

precisa-saber-sobre-glaucoma

Doença assintomática, ou seja, que não dá indícios ou sintomas, o glaucoma consta como uma das principais causas da cegueira. Daí a extrema importância do diagnóstico rápido para que o tratamento proporcione melhor resultado ao paciente. Entenda a seguir o que você precisa saber sobre glaucoma para manter sua saúde visual plena e sadia.

Afinal de contas, o que define o glaucoma?

A comunidade médica define o quadro do glaucoma como lesões localizadas no nervo ótico, causadas em decorrência da pressão intraocular.

Como não dá indícios de dores e desconfortos, é comum que muitas pessoas possuam este distúrbio, e nem se deem conta, afinal, é uma doença silenciosa.

Os primeiros sintomas surgem quando o glaucoma já está instaurado, quando o campo de visão já está menor e comprometido. Para evitar esta progressão que leva o paciente a ficar cego, é preciso fazer exames oftalmológicos periodicamente, para que o diagnóstico seja feito precocemente.

Há grupos e fatores de risco?

Estudos indicam que pessoas de pele negra estão mais propícias a desenvolver a doença do glaucoma.

Além disso, grupos de pessoas que se encontram na faixa etária superior aos 40 anos e que possuem casos de glaucoma na família, também se encontram em situação de risco.

Outro fator que merece destaque é atenção é o caso de pessoas que fizeram cirurgias corretivas na visão, pois estas também estão mais propensas a sofrerem de glaucoma.

Qual o tratamento para o glaucoma?

Para tratar a lesão no nervo ótico, o tratamento mais comum lança mão da utilização de um colírio especial, que possibilita diminuir a chamada pressão intraocular.

Além disso, há alguns casos em que o tratamento se dá por meio de cirurgia, sobretudo quando o tratamento com o colírio se apresenta ineficaz.

Haja vista a gravidade do tema, é importante que as pessoas se conscientizem e visitem o médico oftalmologista ao menos uma vez ao ano, para acompanhar a saúde dos olhos e manter o bem-estar visual.


Sal em excesso prejudica a visão – Saiba a quantidade adequada

sal-excesso-visao

Cotidianamente, é possível que milhares de pessoas coloquem em risco a saúde dos olhos devido ao excesso de sal ingerido por meio dos alimentos consumidos todos os dias.

sal-excesso-visao

Responsável por 70% de todo o consumo de sódio no país, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o sal em excesso é responsável por potencializar as chances de várias doenças, sobretudo oculares, como por exemplo, a catarata.

A visão e o sal: qual a quantidade adequada?

A OMS (Organização Mundial de Saúde), determina que o consumo diário de sal jamais ultrapasse 5 gramas, algo como uma colher de chá.

Quando se ultrapassa este limite, temos o excesso de sódio na corrente sanguínea. Esse fato dificulta a manutenção do baixo nível intracelular de cálcio, responsável por proporcionar a transparência do cristalino do olho, por exemplo.

É exatamente o cristalino o elemento que focaliza as imagens, e ao ser acometido pela ação nociva do sódio, intensifica-se a aversão à luz, também conhecida como fotofobia. Com isso, situações comuns como por exemplo, dirigir de frente aos semáforos e luzes, torna-se um grave problema.

O simples ato de proceder com uma leitura, torna-se um transtorno, pois a pupila pode se contrair.

Dicas para diminuir o consumo de sal

Alguns pequenos gestos podem fazer toda a diferença no dia a dia e ajudam a diminuir o excessivo consumo de sal, prevenindo assim diversas doenças e proporcionando um estilo de vida mais saudável.

Por exemplo:

  • Retirar o saleiro da mesa;
  • Escolher temperos naturais ao invés de produtos industrializados;
  • Não consumir produtos embutidos, pois estes possuem alta concentração de sódio;
  • Evitar alimentos com glutamato de sódio;
  • Diminuir ao máximo o consumo de alimentos em conserva, etc.

Seguindo estas dicas, é perfeitamente possível manter a média de consumo indicada, poupando não somente a saúde dos olhos, mas de todo o corpo e organismo.


Higiene é a melhor forma para evitar a conjuntivite

higiene-evitar-conjuntivite

higiene-evitar-conjuntivite

Higiene, atenção e cuidados: estes fatores são determinantes para evitar a conjuntivite, bem como sua transmissão e disseminação.

Ao coçar os olhos, a pessoa que está com conjuntivite pode facilmente transmitir a doença, apenas segurando nas mãos ou até mesmo compartilhando objetos, como é bem comum em ambientes de estudo e trabalho, por exemplo.

O que é conjuntivite

A conjuntivite nada mais é do que um tipo de Inflamação causada na conjuntiva, uma membrana que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos), caracterizada pela sua transparência e finura, que também envolve o interior das pálpebras.

Causas da conjuntivite

Muitos podem ser os agentes desencadeadores da conjuntivite. O mais comum é que ela se dê por meio de reações alérgicas a poluentes. Além disso, reações perante as mais variáveis substâncias capazes de irritar os olhos, indo da fumaça que polui o ar ao cloro de piscinas, e produtos de limpeza, temos na conjuntivite primaveril o tipo mais comum.

Há ainda a conjuntivite oriunda da reação com o pólen presente no ar, conhecida também como febre do feno. Fora isso, bactérias e vírus podem acarretar no surgimento da conjuntivite. Neste caso, temos a conjuntivite contagiosa, que se dá através de objetos, secreções e falta de higiene.

Como prevenir a conjuntivite

Higiene é a melhor forma de prevenir a conjuntivite. Daí a importância de sempre lavar as mãos de forma adequada após pegar objetos, utilizar transportes públicos ou particulares, e afins. Não usar toalhas compartilhadas também é uma boa maneira de se manter longe da doença.

Sintomas da conjuntivite

Os principais sintomas de conjuntivite são:

• Olhos vermelhos e lacrimejantes
• Visão turva e borrada
• Sensação de areia e cisco nos olhos
• Coceira

Aos menores sintomas, é essencial procurar a ajuda de um médico oftalmologista que irá diagnosticar a conjuntivite e proceder com o tratamento adequado a cada caso.


Confira dicas cruciais para a fachada da Óptica

dicas-fachadas-opticas-lojas

A fachada da óptica é um fator determinante para o sucesso do negócio, embora muitos empreendedores ainda não tenham se dado conta da importância deste detalhe.

dicas-fachadas-opticas-lojas

Concomitantemente às questões de acessibilidade, vitrines, comunicação interna e externa, bem como o layout e design necessários para uma óptica, a fachada deve incluir alguns fatores que, se levados em conta, agregarão maior valor ao negócio e consequentemente ampliarão os resultados esperados e planejados.

Para tanto, algumas dicas são cruciais para a fachada da óptica manter-se coerente com o planejamento e projeto.

1- Destacar o nome da óptica na fachada

O nome, principalmente através da logomarca da loja óptica, deve ser mantido em destaque na fachada, não apenas para chamar a atenção, mas como uma espécie de identidade da marca.

Comércios que não destacam o nome e logomarca em suas fachadas torna-se difíceis de se encontrar e localizar. Ao dar ênfase neste detalhe, a óptica facilita a localização, se tornando mais visível.

2- Conservar a pintura

Investir na renovação da fachada da óptica por meio de uma boa pintura, aliada sempre com os padrões vigentes e design é mais um fator que merece a atenção do empreendedor do ramo ótico.

Fachadas com pintura velha, descascada, pichadas e sujas, dão uma péssima aparência ao local, afastando os clientes ao invés de atraí-los.

3- Manutenção de letreiros e luminosos

Outro ponto crucial no que tange a fachada da óptica é a questão dos letreiros e a iluminação. O desleixo faz com que este importante fator muitas vezes seja relegado a segundo plano. Em decorrência desta displicência, luzes quebradas e apagadas, curto-circuito e uma fachada sem atrair os olhares e curiosidades do público no período noturno.

Atentar-se em fazer a manutenção periódica destes detalhes é crucial para que a óptica seja bem-sucedida e tenha uma fachada de destaque.