Category Archives: Sem categoria

Por que você não deve comprar óculos de grau pronto, para perto

Com a saúde não se brinca, sobretudo quando falamos em saúde ocular. Porém, infelizmente, ainda hoje, mesmo com todo alarde sobre os cuidados necessários no que diz respeito ao comprar óculos de grau para perto, muitas pessoas ainda ignoram a necessidade de uma receita prescrita pelo médico oftalmologista.

Seja por descaso ou mesmo por desconhecer os riscos à visão, continua sendo comum o fato do indivíduo comprar óculos de grau em camelôs, farmácias, e até rede de supermercados.

Em algumas situações, o paciente até tem a receita e a indicação do médico, mas ao invés de buscar uma empresa óptica de referência, que produza o acessório de tratamento ocular sob medida, adquire os óculos já prontos, com um grau aproximado ao que foi indicado pelo médico.

Você sabe o que pode ocorrer, ao lançar mão deste artifício?

Os perigos de comprar óculos de grau pronto

Dentre os malefícios de se utilizar os óculos prontos, popularmente chamados de “óculos de farmácia”, estão o agravamento da presbiopia, além de provocar o surgimento do astigmatismo.

Há ainda um problema usual decorrente deste comportamento: o fato do paciente ter o distúrbio visual camuflado. Com o uso do acessório inadequado, a pessoa em um primeiro momento sente que a doença diminui ou está sob controle, quando na verdade pode desenvolver diversas doenças silenciosas, como o glaucoma.

Diante deste quadro, retarda-se o tratamento correto das doenças oculares, e em boa parte dos casos, ao ter o diagnóstico tardio, já não há muito o que fazer.

Outro erro ocasionado pelo uso deste material é o fato dos óculos prontos, via de regra, forçar mais uma das vistas do que a outra, acarretando em demais problemas na visão.

Viu como o simples hábito de adquirir óculos de grau pronto pode gerar uma série de problemas em sua visão? Exatamente por todas estas possibilidades mencionadas, nunca lance mão deste artifício.


Como saber se meu grau aumentou?

Como-saber-grau-olho-aumentou

Como-saber-grau-olho-aumentou

Você já está utilizando óculos há algum tempo, e já passou pelo período de adaptação, porém, tem sentido certo desconforto nos olhos?

Caso a situação se prolongue e não seja uma situação “pontual”, fique alerta: pode ser que o grau tenha aumentado.

Veja a seguir, como saber se o grau aumentou e quais procedimentos tomar, para que sua saúde visual seja mais satisfatória.

Astigmatismo: erro de refração mais comum

A grosso modo, o astigmatismo é o tipo de grau que determinado paciente necessita. Enquanto na miopia e hipermetropia, o grau está ligado às questões do comprimento dos olhos, no astigmatismo esta associação se dá pela curvatura da córnea.

Um dos sintomas deste erro de refração (condições adversas à visão como hipermetropia, miopia, presbiopia e o astigmatismo) é a visão embaçada, como se o paciente enxergasse fantasmas no lugar de objetos, letras e números.

Se você já foi diagnosticado com erro de refração, passou a usar lentes/óculos corretivos para tratar do problema e tem percebido que estes “fantasmas” na visão, voltaram a aparecer, é bem possível que o grau tenha se elevado.

Teste oftalmológico proporciona resultados precisos

Para cessar a dúvida e procurar o tratamento mais adequado, bem como garantir o uso do grau exato às necessidades do paciente, é imprescindível que se procure um médico oftalmologista que execute o chamado teste de refração.

Apenas ele está autorizado a realizar os procedimentos necessários para executar corretamente o teste. Iniciando geralmente com a autorefração computadorizada, agregando ao texto ou optando em alguns casos, somente pela retinoscopia, ambos procedimentos são capazes de fornecer informações mais precisas acerca do grau do paciente, ajudando assim a solucionar de forma eficaz, esta problemática.

Desta forma, é importante salientar que a melhor maneira para ter certeza de que o desconforto visual ocorrido se trata de aumento de grau, ou algum outro problema relacionado à visão, é por meio da ajuda especializada de um profissional oftalmologista.


Como evitar a conjuntivite?

conjuntive-sintomas-tratamento

conjuntive-sintomas-tratamento

Uma das principais doenças causadas nos olhos é a conjuntivite. Mais intensificada em épocas de calor e o tempo mais seco característico do verão, a conjuntivite se define pela inflamação da membrana que, por sua vez, reveste a parte frontal dos olhos, bem como a região interna das pálpebras.

Sintomas de conjuntivite:

  • Coceira na região dos olhos;
  • Dor;
  • Secreção nos olhos;
  • Vermelhidão.

Agindo nas pessoas por aproximadamente 15 dias, os tipos de conjuntivite mais comuns são:

  • Viral
  • Bacteriano
  • Alérgico

Dentre estes 3 tipos, aquele considerado mais nocivo e de maior disseminação é a conjuntivite viral.

Características da conjuntivite viral

A conjuntivite viral se caracteriza pela sensação de “areia” ou objeto estranho nos olhos. Há um intenso lacrimejamento e em casos mais graves, deixa sequelas, como problemas nas córneas.

Seu tratamento envolve desde o suo de colírios específicos, do tipo lubrificantes, até mesmo compressas de água fria.

Dicas para evitar a conjuntivite

Alguns cuidados bem simples podem ajudar a evitar que as pessoas sejam contaminadas com o vírus da conjuntivite.

A higienização das mãos é uma ótima solução neste sentido, sobretudo com o uso do álcool em gel e sabão, bem como a utilização de utensílios individuais como lenços de papel e toalhas e roupas de cama individuais.

Atentar-se a objetos de uso compartilhado, como por exemplo, aparelho de controle remoto, telefones, e também transporte público, é muito importante, pois é comum que todos estes objetos e lugares aglomerem vírus e bactérias.

Para evitar o contágio, ressalta-se a importância da higiene. Não passar a mão suja nos olhos é outro ponto essencial para evitar a conjuntivite.

O contágio pode ocorrer também em água do mar, piscinas não tratadas, riachos e lagos, portanto, ao visitar estes locais, principalmente na época das férias, que é mais comum, requer maiores cuidados e atenção.

Ao detectar os sintomas, é importante procurar um médico oftalmologista, que procederá com o tratamento adequado a cada caso.