Que tal imaginar o mundo sem cores? Isso mesmo. Ou melhor, o mundo com poucas cores, quase não diferenciadas em seus tons. Seria ruim, não é mesmo? No entanto, é assim que cerca de 5% das pessoas em todo mundo enxergam.

Quantas vezes você já ouviu falar sobre daltonismo, mas nunca soube de fato, especificar o que é?

Também chamado de discromatopsia e discromopsia, o daltonismo é caracterizado por uma alteração na visão, onde a pessoa afetada por ela perde a capacidade de diferenciar as cores, em especial o verde, azul e vermelho.

Desenvolvimento do daltonismo
Este distúrbio de visão recebe o nome de daltonismo devido ao cientista precursor dos estudos relacionados ao seu desenvolvimento, John Dalton.

Ele mesmo foi portador desta anomalia, relacionada intimamente com fatores genéticos e atingindo em sua maior parte de incidência, os homens (20 vezes mais do que as mulheres).

Embora o desenvolvimento do daltonismo ocorra em grande parte de maneira congênita, quando a anomalia na retina ocorre desde o nascimento do indivíduo, o daltonismo também pode ser adquirido, em decorrência de lesões.

Sintomas do daltonismo
Dentre os sintomas principais, destacamos a dificuldade de distinguir as cores nos primeiros anos de escola. Se a criança demonstra estas características, procure imediatamente um oftalmologista para o correto diagnóstico e tratamento.

Possíveis limitações
A pessoa daltônica pode enfrentar algumas limitações, sobretudo em determinadas profissões como atiradores, motoristas profissionais e pilotos, porém, é possível também por meio de tratamento atenuar os efeitos do distúrbio e ter uma melhor qualidade de vida neste sentido.

Convivendo com o daltonismo
Por meio de algumas estratégias e uso de óculos com lentes para daltônicos, embora o daltonismo não tenha cura, conviver com esta problemática se torna mais fácil.

Além dos óculos especiais para daltônicos, é possível aprender a diferenciar cores através da luminosidade, bem como da saturação que as diferentes cores e tons apresentam.

Dúvidas sobre daltonismo, lentes e tratamento? Deixem todos seus questionamentos nos comentários que traremos a solução!