As luzes LED e os olhos, ao que parece, não combinam muito bem. Ao menos é o que afirmam uma série de estudos, como um divulgado recentemente pela Universidade Complutense de Madrid, encabeçado pela pesquisadora de assuntos relacionados à visão, Celia Sánchez-Ramos.

Luzes-LED-cuidados-olhos

Apontadas como solução para o gasto excessivo de energia, a tecnologia de luzes de LED, elas poderiam também causar danos visuais, dependendo da intensidade do uso e exposição aos olhos.

Veja mais detalhes sobre este estudo na sequência deste artigo feito para os leitores do blog da Braslab.

Danos na retina em decorrência da exposição à luz

Presente no dia a dia de todas as pessoas, independente de idade ou classe social, a luz de LED emitida em aparelhos eletrônicos, computadores, TVs de LED, games, celulares e afins, atua contra a saúde ocular caso os olhos sejam excessivamente expostos a ela.

Mais precisamente a vilã neste caso seria a luz Azul-Violeta de Alta Energia (LVAE). Em 2014 pesquisadores da França apresentaram um estudo no Congresso da Associação de Pesquisa em Visão e Oftalmologia, demonstrando que a LVAE se trata de uma luz tóxica, capaz de causar danos na retina.

Óculos especiais com filtro: solução?

Em decorrência do uso continuo de aparelhos e tecnologias que emitem a chamada luz tóxica, temos uma movimentação no sentido de buscar barrar os efeitos nocivos da luz de LED.

Embora ainda sem comprovação científica de eficácia, uma das alternativas em estudo atualmente diz respeito ao desenvolvimento de óculos com filtros especiais que seriam capazes de bloquear os raios emitidos pelas luzes.

Enquanto a provável solução não é disponibilizada e comprovada, o ideal é seguir algumas dicas dadas pelos oftalmologistas, como por exemplo, manter uma distância visual segura dos aparelhos que usam estes tipos de luzes (no caso do computador, cerca de 50 ou 60 centímetros distantes dos olhos), fazer pausar a cada hora de uso (smartphone, celulares, notebooks, TVs, games, etc.), e claro, fazer uma espécie de manutenção ocular periodicamente, realizando testes e exames prescritos pelo seu médico oftalmologista.