degeneracao macular

Mais comum do que muitos possam supor, a degeneração macular ou DMRI (Degeneração Macular Relacionada à Idade) consiste numa doença que provoca a queda progressiva da visão.

Considerada uma doença degenerativa, a degeneração macular atinge com mais incidência a parte central da retina humana, aquela responsável pela nitidez da visão e é mais comum, segundo estudos, em pessoas de pele branca e com faixa etária superior a 50 anos.

Relação com hábitos e outras doenças
Costumes como alta exposição ao sol, vício no tabagismo, alimentação desregrada, diabetes, hipertensão arterial, dentre outras doenças metabólicas e circulatórias, influenciam tanto no surgimento da degeneração macular quanto em sua gravidade.

DMRI seca e DMRI exsudativa
Há dois tipos de degeneração macular: DMRI seca e DMRI exsudativa.

A DMRI seca se caracteriza pelo acúmulo de drusas (tipo de proteínas e gorduras que se instalam na célula da mácula), podendo acarretar no descolamento da retina. É o tipo mais “leve” de degeneração macular, dificilmente causando a cegueira.

Já a DMRI exsudativa é o tipo mais agressivo da doença. De rápida progressão, é preciso intervir de forma ágil, caso contrário é praticamente impossível evitar a perda da visão central.

Sintomas da degeneração macular

Alguns sintomas são recorrentes nas pessoas que sofrem desta doença:
• Perda visual de maneira progressiva
• Visão central turva e distorcida, além de ondulações na visão
• Ao ler ou aproximar papel, tela e objetos há a necessidade de luz mais brilhante
• Dificuldade e enxergar em ambientes com baixos níveis de luz
• Intensidade ou brilho das cores reduzidos
• Reconhecimento de rostos dificultado

Tratamentos para a degeneração macular
Complexos multivitamínicos específicos e uma alimentação pautada em vitaminas antioxidantes das frutas e vegetais irão contribuir de maneira efetiva para a saúde da visão dos pacientes.

Nos casos de degeneração macular mais grave, é necessário o uso de medicamentos do tipo antiangiogênicos. O mais eficaz neste sentido é o ranibizumabe, que segundo estudos divulgados pelo American Journal of Ophthalmology, reduziu até pela metade cegueiras oriundas da degeneração macular.