Solucionar problemas visuais em seus mais diversos espectros com extremo sucesso é o principal viés do termo “Terapia Visual”. As definições podem variar de acordo com a área do especialista (Oftalmologista, Óptico, Optometrista ou Ortoptista), porém, a intenção e sentido da prática são os mesmos.

terapia-visual

Terapia Visual em linhas gerais
Podemos, em linhas gerais, definir a Terapia Visual com sendo uma espécie de tratamento personalizado que visa sanar diferentes deficiências visuais, sejam elas de ordem perceptual, cognitiva ou oculomotoras, por exemplo.

Ela consegue ótimos resultados, especialmente em pacientes que apresentam dificuldade de leitura, escrita, e até mesmo no cálculo de avaliação das distâncias, entre outras mazelas.

Neste processo, há uma série de exercícios que buscam ajudar o cérebro a controlar e ampliar sua capacidade em diferentes fatores, como o alinhamento ocular, as capacidades de focar imagens, processamento de informação da visão, bem como os movimentos oculares.

Indicações
A Terapia Visual é indicada, sobretudo, para adultos ou crianças que apresentem quadros como complicações na memória visual, problemas de coordenação olho-mão, convergência dificultada, má coordenação binocular (ou seja, quando os dois olhos não trabalham concomitantemente de maneira efetiva), e também em casos de estrabismos e ambliopia.

Eficácia visual
A Terapia Visual é uma excelente ferramenta para proporcionar aos pacientes acometidos de estrabismos (o famoso desvio dos olhos) e ambliopia (o popular olho preguiçoso), uma maior eficácia visual.

Os resultados comprovados indicam, aliás, que por meio da Terapia Visual, a eficácia é ainda mais benéfica do que outros métodos, caso de uso de óculos e cirurgias sem agregar a terapia, por exemplo.

Consultar um médico especialista neste setor é essencial para que ele possa tecer um diagnóstico apropriado e avaliar a necessidade ou não de indicar a Terapia Visual para solucionar os diferentes problemas de visão existentes.