Cotidianamente, é possível que milhares de pessoas coloquem em risco a saúde dos olhos devido ao excesso de sal ingerido por meio dos alimentos consumidos todos os dias.

sal-excesso-visao

Responsável por 70% de todo o consumo de sódio no país, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o sal em excesso é responsável por potencializar as chances de várias doenças, sobretudo oculares, como por exemplo, a catarata.

A visão e o sal: qual a quantidade adequada?

A OMS (Organização Mundial de Saúde), determina que o consumo diário de sal jamais ultrapasse 5 gramas, algo como uma colher de chá.

Quando se ultrapassa este limite, temos o excesso de sódio na corrente sanguínea. Esse fato dificulta a manutenção do baixo nível intracelular de cálcio, responsável por proporcionar a transparência do cristalino do olho, por exemplo.

É exatamente o cristalino o elemento que focaliza as imagens, e ao ser acometido pela ação nociva do sódio, intensifica-se a aversão à luz, também conhecida como fotofobia. Com isso, situações comuns como por exemplo, dirigir de frente aos semáforos e luzes, torna-se um grave problema.

O simples ato de proceder com uma leitura, torna-se um transtorno, pois a pupila pode se contrair.

Dicas para diminuir o consumo de sal

Alguns pequenos gestos podem fazer toda a diferença no dia a dia e ajudam a diminuir o excessivo consumo de sal, prevenindo assim diversas doenças e proporcionando um estilo de vida mais saudável.

Por exemplo:

  • Retirar o saleiro da mesa;
  • Escolher temperos naturais ao invés de produtos industrializados;
  • Não consumir produtos embutidos, pois estes possuem alta concentração de sódio;
  • Evitar alimentos com glutamato de sódio;
  • Diminuir ao máximo o consumo de alimentos em conserva, etc.

Seguindo estas dicas, é perfeitamente possível manter a média de consumo indicada, poupando não somente a saúde dos olhos, mas de todo o corpo e organismo.